Estudo semanal para 15 a 19 de Fevereiro de 2021

 IBOV


IBOV deixou uma inside bar no gráfico semanal, ou seja, passou a semana inteira trabalhando dentro da barra da semana retrasada, não rompendo máxima e nem mínima.

Com isso nossos dois cenários seguem válidos por enquanto.

Um pouco mais de atenção caso o IBOV perca a mínima da semana passada em 117.970 pois pode sinalizar fraqueza por parte dos compradores e atrair novos vendedores.

Agora, caso perca os 115.000 pontos acho difícil que os vendedores não consigam seguir empurrando os preços para níveis mais baixos pois estaremos na iminência de ativar o pivô de baixa.

Lembrando que o primeiro alvo do pivô seria a região dos 110.200 e o segundo para 103.680 pontos.

Na outra ponta, caso tenhamos a superação da máxima da semana passada, o mais provável é que tenhamos pelo menos um teste de topo anterior em 125.350 pontos.

PETR4


Não muito diferente ficou o gráfico semanal de PETR4, deixando um doji, só nos resta aguardar por mais uma barra no semanal.

A perda dos 27,00 vai deixando o movimento altista já sem tantas esperanças e os vendedores começam a se animar, vislumbrando a possibilidade de um pivô de baixa no semanal com primeiro alvo na região dos 25,00.

Por outro lado, a superação dos 30,10 pode levar a PETR4 a um teste de topo na região dos 31,70 inicialmente.

VALE3


Sem grandes mudanças também no gráfico semanal da VALE3, embora o ativo tenha superado a máxima da semana anterior, a barra deixou sombra superior e inferior, sendo a superior ligeiramente maior, denotando ainda a presença de vendedores nesta região que é a retração de todo esse movimento corretivo.

Por enquanto tivemos a quebra da LTA e um movimento que pode ser um possível teste de topo, nada além disso.

Seguimos acompanhando durante a próxima semana por algum sinal mais claro sobre a provável direção do ativo.

SLCE3


SLCE3 atingiu o primeiro alvo do pivô em 42,71.

Ativo se distanciou muito das médias e portanto quem não comprou até agora, não é agora que irá fazê-lo, certo?

No mínimo uma realização de lucro parcial para quem já estava posicionado na compra.

Apesar de esticado, repare que ainda não temos nenhuma sinalização gráfica indicando que o ativo irá iniciar um movimento de correção e com isso nada impede que as altas continuem até os próximos alvos.

ALPA4


ALPA4 após uma forte puxada compradora, lateralizou em região de topo com barras fracas, isso vai descaracterizando o movimento prévio, ou seja, todos aqueles que haviam comprado o papel acreditando que o ativo pudesse continuar subindo, após tantas semanas andando de lado, acabam por desistir, tornando assim o movimento menos provável de acontecer.

Analisando as barras, tivemos o rompimento de uma LTA sem vergonha, praticamente sem nenhuma inclinação com uma boa barra de baixa, seguida por um doji que tentou reverter a barra anterior, porém sucesso, em seguida, uma nova barra forte de baixa, fechando ali próximo da mínima.

Dado o contexto e as últimas 3 barras, é possível imaginar que caso tenhamos uma nova mínima sendo renovada na próxima semana, esta será então um possível pivô de baixa, iniciando o movimento de correção.

O primeiro alvo desta correção seria a região dos 36,60 e um segundo alvo na região dos 34,00 (mais provável).

JBSS3


JBSS3 vai rompendo uma importante resistência.

Deixou uma boa barra de alta, bem acima da zona de resistência e com fechamento próximo da máxima.

Ativo sugere continuidade da alta com alvo do movimento projetado na região dos 31,25.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Atualização de Janeiro da carteira 2020 do Shima

Estudo Mensal para Fevereiro de 2020